Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Olhar o Horizonte...

Olhar o Horizonte...

A personalidade constrói-se

Outubro 25, 2018

O desafio/obstáculo que a vida me colocou fez-me pensar que a nossa personalidade se vai modificando à medida que passamos, em especial, por momentos difíceis. 

Na escola sofri de Bullying, o que fez com que me tornasse uma pessoa fechada, introvertida, sem confiança em si mesma, ansiosa.Comecei por sofrer de Bullying na escola primária, em que numa brincadeira chamei, juntamente com outras meninas " mariquinhas pede salsa" a um menino de uma outra turma. Ele foi fazer queixa à professora dele, e apesar de outras meninas lhe terem dito isto, e serem da turma dele, apenas eu fui repreendida. E sabem qual foi a repressão da professora, que todas as crianças daquela turma me chamassem "pernas de alicate" entre outras designações menos bonitas...Sim foi uma professora que mandou fazer isso, e por isso tive de aguentar que me chamassem nomes até irem embora da escola! Também, na altura me chamaram de anormal porque sofria de epilepsia, que felizmente acabou por desaparecer aos 9 anos (algumas crianças evitavam brincar comigo, pois podia enervar-me, desmaiar e tremer que nem uma anormal!)

Já no ciclo, mais precisamente a partir do 7º ano, colocaram-me de parte. Como se não bastasse colocaram-me numa turma desconhecida, em que era a única da minha aldeia naquela turma, e os colegas meteram-me de parte, tendo mais tarde inventado a alcunha de "freira" por eu não fumar, não beber bebidas alcoólicas, não "curtir" com rapazes, não faltar às aulas, e não sair à noite! Pois, um autêntico disparate, mas fui-me aguentando na minha solidão. No 10º ano consegui ter uma amiga, pois ela era posta de parte por não a considerarem bonita. Depois, infelizmente chumbou e trocou de agrupamento, e fiquei só até ao 12º ano.

Na faculdade foi melhor. Consegui amizades sobretudo em pessoas de diferentes cursos; amizades que ainda perduram. No entanto, nem tudo foi um mar de rosas, pois haviam umas raparigas do pior, uma delas chegou a dizer que não gostava de mim "porque não", e chamava-me aberração! Houve uma vez que caí no erro em dizer mal delas...E bem...Fizeram-me a vida negra durante alguns meses, sentando-se atrás de mim nas aulas, a chamarem-me nomes!

Ainda assim, na faculdade, aprendi ser um pouco menos envergonhada, e ganhei um pouco de confiança.

Hoje já não sou tão envergonhada, já tenho mais confiança, e não tenho medo do que as pessoas possam pensar de mim. Gosto de ser como sou: gosto de ler, caminhar, passear, ver séries seguidas, estar com os meus amigos e família, escrever, brincar com os meus gatos. Raramente saio à noite, e se saio é sobretudo para jantares com amigos. Não gosto de muitas multidões; gosto de praia no outono, inverno e primavera, pois no verão está cheia de gente. Digo o que penso, quando necessário.

 

Tudo isto, para dizer que a nossa personalidade vai-se modificando ao longo do tempo, perante as situações que vamos vivenciando. Independentemente por que passamos, acabamos por tirar algo útil de cada situação.

Acredito que sou hoje uma pessoa melhor, mas que posso trabalhar para ser melhor ainda!

Não sou perfeita, ninguém o é, mas tento sempre ser um pouco melhor todos os dias.

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D