Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Olhar o Horizonte...

Olhar o Horizonte...

Dia Mundial da Saúde Mental


Olhar o Horizonte...

10.10.18

Hoje celebra-se o Dia Mundial da Saúde Mental, mas os órgãos de comunicação social dão pouca importância a este assunto, destacando apenas os que já enjoam, nomeadamente os relacionados com futebol! Detesto noticiários, que  já nem os vejo!

Mas regressemos ao que interessa. Os Problemas de Saúde Mental, na minha opinião, e não sou especialista na matéria, é um assunto que deveria ser mais tido em conta, pois muitas pessoas o possuem, algumas, talvez, sem o saberem. Os distúrbios mentais são a preocupação do século XXI.

O excesso de trabalho, o mau ambiente no local de trabalho, uma relação conjugal tóxica, solidão, stress...são algumas das várias situações que podem contribuir para o aparecimento de problemas mentais.

Hoje vivemos num mundo onde as pessoas, cada vez mais, pensam nelas mesmas, pretendem sentir-se superiores às outras, e querem mostrar do que são capazes, independentemente da forma ou se prejudicam outras.

A mesquinhez, o egoísmo, o cinismo, o querer atingir a perfeição, a necessidade em querer ser o centro das atenções, a falta de paciência...enfim...

A sociedade de hoje está corrompida, com muitos maus hábitos, e nem se apercebe ou nem quer saber, que as melhores coisas desta vida são a nossa família e amigos. As melhores coisas da vida estão intrínsecas na simplicidade da vida, e que é nessa que buscamos a verdadeira felicidade.

 

O excesso de utilização da redes sociais é um dos argumentos dos especialista, para este deteriorar da saúde mental das pessoas.

Alguns gostam de partilhar tudo o que fazem nas redes sociais! Estejam na praia, a almoçar, a dançar, num evento...partilham cada momento da sua vida. Já eu, partilho, neste momento, essencialmente, a vida maravilhosa dos meus gatos! 

Não temos de provar nada a ninguém, além de nós mesmos. Não precisamos de mostrar nas redes sociais que somos felizes; aliás, aqueles que, por vezes demonstram muita amor e felicidade através de um post,  na realidade não são felizes.

Há também aqueles casais que publicam tudo da sua vida pessoal e conjugal: se estão zangados, se traíram a outra pessoa e agora pretendem voltar para essa mesma pessoa...Tudo isto é desnecessário; a privacidade é algo que eu, cada vez mais, aprecio, apesar de saber, que as tecnologias são uma forma de quebrar com a nossa privacidade, e não falo apenas nas redes sociais!

 

A depressão é o problema metal mais destacado, pois há cada vez mais pessoas com este problema, e muitas delas nem sequer possuem o acompanhamento necessário.

A depressão não é sinónimo de tristeza, é algo mais profundo, que afeta o humor das pessoas. A depressão é como que uma tristeza muito profunda, que pode aliar a perda de peso, dificuldade de concentração, e dificuldade em dormir.

A depressão é uma tristeza que se prolonga por vários meses, e quando não tratada pode levar a que as pessoas, num caso mais extremo, ponham termo à sua vida!

 

Procure o que há de melhor em si; tente ver o sol em dias cinzentos; se vive sozinho/a arranje um animal de estimação, pois viver sozinho não é sinónimo de solidão; ocupe-se com algo que gosta (escreva, leia, faça uma caminhada, ligue à família e amigos próximos), e no fim se irá aperceber que está a levar uma vida feliz.

A felicidade não se encontra numa conta bancária recheada, num bom carro, numa casa grande e luxuosa. A felicidade encontra-se dentro de nós, e somos nós quem a criamos, com a nossa visão simplificada da vida.

Aprenda a gostar de si e daquilo que conquistou até hoje. Não tenha inveja da felicidade dos outros, das conquistas dos outros. Lembre-se que o mais importante é viver com saúde e felicidade, mesmo com pouco.

 

 

 

 

2 comentários

Comentar post

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D

Mensagens

Mais sobre mim

foto do autor