Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Olhar o Horizonte...

Olhar o Horizonte...

Proibição de traje académico não existe!


Olhar o Horizonte...

19.09.18

Eu confesso  que nunca fui adepta das praxes, e por isso participei em muito poucas, uma vez que discordava da grande maioria.Não tem nexo proferir cânticos com imensos palavrões quando o que vais fazer numa faculdade é estudar, aprender, formar-te numa determinada profissão. Em que curso superior se refere que os palavrões fazem parte das profissões? E já agora, discordo totalmente de um estudo que refere que as pessoas mais sinceras são as que dizem palavrões!!! Muitas que dizem palavrões são umas mentirosas, e às vezes más mentirosas!!! Disparate!

Prosseguindo!

Há muitos abusos nas praxes, e quem diga que não, está a MENTIR, não tenho problema nenhum em dizer isto porque já fui estudante, e irrita-me profundamente o estudante que o diz aos microfones da comunicação social! Poderá não os haver em algumas faculdades, acredito sim, mas noutras há demasiados exageros, que por vezes terminam em mortes ou idas aos hospitais.

Se te considerares anti-praxe não quer dizer que não possas usar traje académico, podes usar, até porque és tu ou os teus pais que o vão pagar, não as comissões de praxes.

Na faculdade onde estudei, um colega que entrou na segunda fase declarou-se anti-praxe, e os "doutores" disseram logo que estava proibido de usar traje, ao que ele lhes perguntou se são eles que o compram para todos os estudantes! Os "doutores" responderam que não, mas que era proibido! O que é que o meu colega fez de seguida foi comprar o traje e aparecer trajado! Tenho de dizer que Adorei a atitude.

Eu usei o traje académico, e nunca praxei ninguém, aliás até  proibi de praxar, pois, no meu último ano de curso, a sair da escola fui puxada com violência pelo braço por alunos do 2º ano, que me queriam obrigar a estar de joelhos e a caminhar naquela posição. Como é óbvio recusei, e disse, muito zangada que não é assim que se tratam os caloiros (se bem que assim o fui tratada); revelei que era do 4º ano, e mandei os caloiros que estavam de joelhos embora descansados para casa, e aos estudantes trajados do 2º ano disse-lhes que quando eu estiver trajada ficariam proibidos de praxar, e ai deles que eu visse a trataram mal os caloiros. Dei estas ordens sem estar trajada, o que supostamente não é permitido. Obviamente que a partir daquele dia me devem ter ficado a odiar.

 

Praxes como ajudar nas instituições, em atividades em prol da sociedade, essas sim concordo, pois além de se ajudar os outros, os jovens podem a partir daqui construir amizades. 

 

Chamem-me "betinha" ou o que quiserem, mas é esta a ideia que defendo.

E deixo um conselho aos jovens: não te transformes em alguém diferente para agradar aos outros ou ser aceite por grupos, pois poderás perder-te! Mantém a tua essência!

 

 

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D

Mensagens

Mais sobre mim

foto do autor